sexta-feira, 6 de março de 2009

poema

as palavras que escrevo doem,
como se uma faca me cortasse os pulsos,
nada me faz esboçar um sorrir,
chorar e gemer o coração,são os meus impulsos.
não voltes traz muita dor,
a alegria partiu no dia em que chegaste,
quem disse que não se sofre por amor?
não te dói porque nunca me amaste.......

GI :''''(

3 comentários:

Anónimo disse...

GISELA MINA QUERIDA AFILHADA, O PENSAMENTO É LIVRE. SÓ TE DIGO QUE ESTÁS SEMPRE NO MEU CORAÇÃO. BEIJINHOS

gisela disse...

uau! falou comigo.... para quem nao me falava e me deixou pendurada a porta do consultorio...nao sei o que lhe diga... eu nao a percebo,juro que nao... sabe como sou, sensivel demais,todos os dias me deito a chorar.... mas interessa? tenho saudades suas e de como nos eramos AMIGAS. TELEFONE-ME POR FAVOR

Sónia disse...

Ui ui....
façam lá as pazes e tomem um café. Parece que o café é solução para tudo.
Se alguém tiver de ceder, que seja assim. Às vezes perde-se muito por não se dar o braço a torcer.
Desejo o melhor para as duas.