terça-feira, 30 de junho de 2009

poema

sempre com o sentido;
do bater do coração,
que só bate em compasso
quando me dás a mão.
tão perto mas tão longe,
tão longe mas sempre por aqui,
sabes que te pertenço,
sinto sempre falta de ti.
levei toda uma vida sem ti,
agora só te quero abraçar,
mas já viveste tanto sem mim;
que agora sei que é dificil me deixares ficar.
presente o meu amor,
eu aperto-te nos meus braços,
quando estas e me deixas estar,tornas o meu mundo melhor,
e é sempre a ti que me levam os meus passos.
GI
ADORO-TE

5 comentários:

O Profeta disse...

És espantosa...


Doce beijo

Sónia disse...

Também escrevi um poema, um destes dias, no meu blog.
Bom fim de semana.

filipa disse...

achei as tuas palavras muito bonitas.
quando se ama, é tão difícil deixar partir...


maior beijo*

P.B. disse...

Muito bonito e sentido este teu poema! Soa aquilo que é, real...

Beijinhos

Cöllybry disse...

Quando de mãos dadas tudo é mais simples...Lindo poema...

Terno beijo e meus rastooooos



|)’’()
| Ö,)
|),”
|


ölhår_Îñðîscrëtö...Å ¢µ®¡ö§¡dädë