sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

poema: " inocência"

no recanto mais escuro de mim,
não sei esconder-me,
mas fujo de ti.
nas estradas solitárias do meu ser,
caio e levanto-me sem me erguer.
o amor, esse ficou noutra esquina,
não volto atrás,
e sigo a minha sina.
o meu mundo envolto em esperança,
perde-se em ilusões
com a simples lágrima de uma criança!
GI

4 comentários:

Filipa disse...

o poema é simples e tão verdadeiro *.*
adorei =) só mesmo tu para te conseguires expressar assim.

Cuida de ti
bejinho*

Green Eyes disse...

:))

beijinhos
gosto de te ler

Marquês de Sade disse...

Nem te estava a conhecer com os óculos :)
Bjinho

Anónimo disse...

Adorei,tá muito bom. bjs Mariazinha