terça-feira, 28 de setembro de 2010

poema!

- é tão fácil morrer...
é sentir o vazio percorrer
o mais intimo de mim.
é baixar os braços na loucura da desilusão,
para tudo terminar, basta a luz apagar do olhar;
sentir a mágoa a imperar na vida,
esquecer-me de mim
e confirmar que estou perdida!
é sentir os dedos presos,
as palavras entaladas na garganta,
os sentimentos não se descrevem,
a voz não se ouve quando se canta.
é tão fácil chegar ao fim,
quando o mundo não nos percebe,
eu que sei que morri
espero renascer, amor é só o que
a minha alma pede!
GI

2 comentários:

Administrador do site disse...

Olá Gi, este poema é da minha autoria, está no meu site.

Se morreres amanhã,
haverá apenas menos um passageiro
no comboio da tarde...
Se morreres amanhã,
a ausência do compasso sonoro
dos teus passos
não será escutada...
Será apenas mais uma ausência
entre milhões de ausências habituadas...
Se morreres amanhã,
alguns, poucos, lembrar-se-ão
de ti durante um ou dois dias...
Recordarão a tua morte
para celebrar a sua vida...
Não passarás de um bom motivo
de conversa...
Os portadores da notícia da tua morte,
sentirão alguma alegria mórbida
na divulgação da notícia em primeira mão...
"Eh pá, sabes quem é que morreu...?..."
Se morreres amanhã,
serás boa pessoa nos dias seguintes,
inventarão defeitos
pouco tempo depois...
Passado um ano já te mataram
vezes sem conta...
Se morreres amanhã,
desapareces ou deixas de aparecer,
apenas...
Se morreres amanhã,
haverá um prazo legal
para participarem o teu óbito...
... apenas isso...
um prazo legal...
De ti, restará um número de processo
na reparticão de finanças...
Depois de morto,
continuarão a enviar-te
a conta da água, da luz, do telefone...
Se morreres amanhã,
terás quatro pessoas a chorar-te...
Se morreres amanhã,
os negociantes da morte
serão os primeiros
a fazer-se anunciar
aparecerão vestidos de negro,
solicitos e ainda quentes do morto anterior...
Se morreres amanhã
a segurança social vai poupar
no que seria a tua reforma...
Se morreres amanhã,
só mesmo tu é que vais
dar por isso...
Se morreres amanhã,
morres...

gisela disse...

obrigada! gostei muito... :)