quinta-feira, 6 de maio de 2010

poema

- encontrar as palavras certas,
para exprimir a dor que não sai,
respiras, expiras e apertas
mas, o coração é teimoso demais.
há momentos em que a boca já não fala,
limita-se a descobrir
os segredos que a ausente alma
deixou para despir.
escapam as lágrimas sem destino,
motivo, não querer sentir;
alivio na cruzada não esperada,
onde as mãos não se conseguem despedir!
GI

2 comentários:

Anna disse...

"Escapam as lágrimas sem destino,
motivo, não querer sentir;
alivio na cruzada não esperada,
onde as mãos não se conseguem despedir!"

Parece que senti estas palavras no meu peito. Descreveste o que estou a sentir. =')

Green Eyes disse...

Eu já cá tinha vindo e lido, mas ainda não conseguia dizer nada... hoje percebes porquê...
O que escreveste era o que eu sentia, não por um ser humano mas por um animal que quase o era...
Obrigada!

Beijo