sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

poema: " a porta "

- essa porta não muda o que sinto,
tal como a chuva nao pode impedir o sol de voltar...
essa porta apenas esconde o que permito,
mas hoje tenho medo de a tocar.
essa porta marca a indiferença,
tento evitá-la, mas é mais forte que eu...
rodeada de nadas, mas com a certeza
que o teu coração nao me esqueceu.
essa porta que teimo em abrir,
que insiste deixar-me na dúvida,
por vezes tento nem sentir,
mas ao sentir é quando sou lúcida...
todos os passos me trazem aqui,
por muito que o tempo passe esta é a estrada;
nao sei se volto por mim ou por ti...
mas, apesar de tudo, a porta continua fechada!
GI

4 comentários:

Anónimo disse...

Gisela,este poema é muito sentido por mim, e como sabes a vida tem altos, baixos,... mas essa porta está sempre aberta para ti.És a minha afilhada para sempre. muitos beijinhos.

gisela disse...

gostei mto deste comentário :)

vitor disse...

Um dia , por certo , a porta se entreabrirá, ao menos ! Depois ...virá a abertura , por completo !

Vitor

Influxos disse...

Olá Amiga Gisela,

Um belo poema... abriste mais uma porta...
se desejares participa no nosso site que foi lançado hoje:

http://www.influxos.com

Fazes falta no site. Participa.

Carlos